29 setembro 2016

Constatações pós férias

By, [miss]Framboesa

-Há trânsito.Muito.Repentino.(Pelo menos não estava cá há duas semanas atrás)
-As horas em terras do Sul passam muito mais depressa.
-A minha balança pirou. (Só pode, face aos resultados com que me brindou)
-Dei cabo de uma nalga nas férias. (Ou nádega, ou meio traseiro, ou o que soar menos mal).Férias sem mazelas é coisa que não me assiste.
Xo,Xo, F.

01 agosto 2016

A sofisticação nos anos 90

By, [miss]Framboesa

Ontem, a propósito de um programa de tv, lembrei-me do gelado Vienetta...Recordo-me quando apareceu o sucesso que foi: se alguém fosse a nossa casa a sobremesa era certamente Vienetta, anunciada como se se tratasse de uma iguaria do calibre de "bananas lentamente flambeadas com vinho marsala envelhecido e raspas de chocolate de Madagáscar". Era sofisticação.Era classe!Aliás, a Vienetta estava reservada só mesmo para dias de festa e as fatias eram cortadas milimetricamente para não desperdiçar...e bem que me apetecia dividir uma Vienetta em duas e repartir pelo almoço e jantar... Hoje em dia acaba por ser um gelado entre muitos...já nem me recordo da última vez que comi Vienetta.E gostava tanto! Tenho que tratar deste assunto este fim de semana.
Xo,Xo, F.

O "meu" mês

By, [miss]Framboesa

Xo,Xo, F.

25 julho 2016

Ready for Summer!

By, [miss]Framboesa

No ano passado o Verão passou-me literalmente ao lado...fui operada dia 3 de Agosto, já estava meio atordoada umas semanas antes, por isso praia, passeatas ou o que fosse da categoria "lareu" foram abolidos do meu calendário estival. Os dias foram passados em repouso no sofá e estou desconfiada que nunca foram realizadas á minha revelia tantas festas, saraus e sunsets como no Verão de 2015 (ou então a minha memória seletiva deu conta de tudinho enquanto fazia zapping pela internet). 

Estava desejosa que chegasse este Verão para o aproveitar em pleno. Caminhadas, piscina, festas, passeios e sunsets...até chegarem as duas fantásticas semanas de Setembro em que rumamos a Sul...Yey! 

Há coisa de 15 dias apanhei não sei o quê e por conselho médico (e do google e das minhas colegas de trabalho e novamente da médica)(repetir isto para mim mesma 3 vezes ao dia para não destrambelhar) devo tentar repousar e não me meter em aventuras, sendo que aventuras inclui as ditas caminhadas, dançar até cair e enveredar pelo fantastico mundo dos mojitos e piña coladas.

Amuei. Tive o meu momento Calimero.

E depois de me passar o amuo fomos a uma festa de Verão...E não, não dancei até cair, abanei-me ligeiramente ao som da música, mas soube bem sair da rotina, rir e passear.E para a semana conto também aproveitar em pleno o fim de semana. Sem grandes maluqueiras que eu quero chegar impec a Setembro...

Verão 2016, "mi aguardiiii"
Xo,Xo, F.

15 julho 2016

Wild world

By, [miss]Framboesa
Já o comentei com familiares e amigos, que quando o terrorismo saísse das grandes cidades e assumisse uma geografia mais "aleatória", passaríamos a um outro nível de terror.

Não que considere que os ataques em grandes cidades não causem repulsa, angústia e medo. Obviamente que causam. Muito. Não consigo sequer imaginar-me num cenário dantesco dessses. Já estive em muitas das cidades alvo de ataques, inclusive Nice, o que só demonstra que bastaria lá estar no dia, hora, local dos ataques. Nenhum de nós está seguro ou a salvo. Embora o fato de nos mantermos na nossa confort zone nos dê essa sensação de segurança e improbabilidade. De há uns anos para cá, sempre que viajamos para alguma capital ou cidade maior, ouvimos sempre advertencias para termos cuidado porque nunca se sabe...
Ontem atacaram Nice.
Não foi uma Londres, uma Paris, uma Nova Iorque.
E sinto (ainda mais) que isto pode acontecer a qualquer momento no nosso quotidiano nos locais mais improvaveis, que cingir-nos à nossa vidinha não basta para nos proteger e tenho ainda mais medo.
Xo,Xo, F.

08 julho 2016

O Google, esse gerador de hipocondriacos

By, [miss]Framboesa
Independentemente dos vossos sintomas, nunca pesquisem os mesmos no Google, a bem da vossa saúde (mental).
Xo,Xo, F.

04 julho 2016

Eu e Mr. Runtastic

By, [miss]Framboesa
Já uso o runtastic há alguns meses desde que recomecei as caminhadas (e pensava que iria começar as corridas mas a raça do ombro não me deixa passar do passo a trote) (bah). 

Se de início a nossa relação era fantástica (entenda-se entre mim e o Runtastic) de há uns tempos para cá tenho-lhe notado umas limitações que me deixam um pouco apoquentada com o dito… 

Cenário 1 – Caminhada descalça na praia em areia semi-molhada 

Uma pessoa faz grandes caminhadas na praia em areia molhada, daquela areia manhosa que nos enterra os pés e nos dá cabo dos músculos todos desde o dedo mindinho até meio das costas, e o Mr. Runtastic está-se marinbando para isso e encara o nosso esforço hercúleo como se estivéssemos a passear no estável paredão. 
Está mal. Cada passada descalça em areia manhosa equivale pelo menos a 4 passadas em terreno liso e de ténis. Com o consequente gasto calórico acrescido. Uma pessoa olha para o relatório do runtastic depois desta provação e só dá vontade de atirar o telemóvel para o mar ali ao lado. 

Cenário 2 – Caminhada contra o vento 

O vento nunca está a favor. Nunca. Quando fazemos o mesmo trajeto em sentido oposto o vento muda, vão por mim. Mais uma vez Mr. Runtastic não quer saber nada disto. Uma pessoa vai ali meio curvada a lutar contra os elementos da natureza e isso conta para alguma coisa na perspetiva de Mr. Runtastic? Nicles.Zero.Nada.Rien. 

Variante: Cenário 1 + Cenário 2 

Been there recentemente. 
Chegamos à toalha de gatas e quando esperamos uma ovação em pé de Mr. Runtastic ele deita-nos um olhar de desprezo e ainda pergunta se fizemos o percurso ao “pé coxinho” e ás arrecuas, porque só isso justifica os poucos quilómetros para tanto tempo de trote. 


Cenário 3 – Passadeira elétrica inclinada e com ténis funcionais 

Não. Não há a variante “a subir” na app do Runtastic (que isto de andar a direito ou a galgar paredes é tudo o mesmo). 
Muito menos há a variante ténis funcionais (sim daqueles que achamos que não fazem nada até os descalçarmos e parecer que andamos com os pés a flutuar tal não foi o esforço para andar quando os tínhamos calçados.) 
Mais uma vez me sinto roubada em calorias e desprezada em proeza quilométrica. 

O Mike diz que estou apoquentada em vão. Que o que interessa é realmente o que se faz. É mais ou menos como aquela história de comer às escondidas, tudo entra tenha audiência ou não. 

Mas eu encaro Mr. Runtastic assim como um treinador, que ao fim de cada treino olha para mim desapontado pelo fraco desempenho. 
Vou a cata de outro treinador que compreenda melhor as nuances das minhas caminhadas que este só me dá tristezas. Bah.
Xo,Xo, F.

16 junho 2016

Dos crop top

By, [miss]Framboesa
É moda, as praias serão certamente invadidas por este estilo mas não consigo gostar... é muito pano, é muito babete, aquilo quase que bate no queixo... e as marcas que aquilo deve deixar depois de dois dias ao sol...Nahhhh, não é mesmo para mim.

Nunca serei uma diva da moda.

(Também sempre abominei os StanSmith ... não tenho remédio "portantus")

Xo,Xo, F.